O município de Canaã dos Carajás subiu do 14º lugar para o 2º lugar no ranking dos municípios brasileiros maiores arrecadadores de Cfem (Contribuição Financeira pela Exploração Mineral). Os dados são da Agência Nacional de Mineração (ANM). A cidade vem mantendo o posto de segundo lugar desde 2018, após a entrada em operação da unidade de mineração de ferro da Vale, o S11D, que completa cinco anos neste mês de dezembro.

Em 2016, as atividades minerárias em Canaã, localizado no sudeste do Pará, geraram o total de R$ 28, 7 milhões em CFEM. Agora em 2021, até novembro deste ano, as operações do ferro e cobre geraram na cidade, segundo dados da ANM, R$ 1,7 bilhão. Deste total, 60% fica no município. À frente de Canaã, está Parauapebas, como a cidade que mais gera royalties da mineração. Atrás de Canaã, em terceiro lugar está Conceição do Mato Dentro, localizada em Minas Gerais.

No município, as unidades do Sossego e de Carajás Serra Sul ( S11D) operadas pela Vale geram mais de 4 mil empregos diretos nas operações. A empresa tem investido também em formação profissional. Mais de 150 mulheres recebem capacitação prática nas mais diversas funções nas áreas de operação e manutenção em Canaã.

Filha de pioneiros de Canaã, Polyana Godoy, 35 anos, fala sobre trabalhar na sua própria cidade. “Quem mora aqui em Canaã há mais tempo tem a preocupação que apesar de ter uma grande mineradora na região, pode não haver absorção de mão de obra daqui. E quando a gente vê que isso acontece e que, inclusive, incentiva que as terceiras façam contratações locais, é muito bom e traz um alívio, por saber que a empresa está dando oportunidade para quem mora aqui na região”, diz Polyana empregada Vale há 11 anos, hoje atuando como engenheira de segurança no projeto S11D.

Leia também:

Mascote da polícia do Pará é eleito o Pet do Ano do Tik Tok

Criadores da região comemoram retorno de exportações

Anvisa autoriza vacina da Pfizer contra covid-19 em crianças

Para ela, a atividade mineradora na região trouxe avanços na educação. “Para quem está aqui há mais tempo, lembra a dificuldade que era estudar na região. E depois da chegada da Vale, sabemos que vieram mais oportunidades, faculdade e escolas. Saber que eu consegui estudar, me formar, mesmo morando em Canaã e ter oportunidade de trabalhar na minha cidade é muito gratificante”, comemora Polyana, que é formada em engenharia de produção, engenharia de segurança do trabalho e tem especialização em higiene ocupacional.

Polyana Godoy, moradora de Canaã, há 11 anos na Vale, hoje engenheira de segurança do projeto S11D+10
Polyana Godoy, moradora de Canaã, há 11 anos na Vale, hoje engenheira de segurança do projeto S11D+10 | Divulgação Vale

Hoje, por meio do Projeto Serra Sul (S11D+10mtpa), são 4.299 trabalhadores contratados para as obras de construção. Deste total, 91,62% são residentes do estado do Pará e 69% de Canaã dos Carajás. Entre eles, está o canaãnense José Pereira da Silva, 33 anos, que tem formação como bombeiro civil e técnico de segurança e de enfermagem.

Nascido na cidade, José conta que os pais chegaram em Canaã, em 1984 quando ainda era colônia, município de Marabá. “Hoje a nossa cidade já tem recursos próprios e o projeto S11D é uma referência em oportunidades de trabalho, hoje tem muitos filhos de Canaã ali trabalhando, e estou no projeto desde março de 2013 atuando na área de saúde e segurança”, diz José, contratado por empresa terceira como técnico de enfermagem.

O canaãnense José, empregado terceirizado na área de saúde, que trabalha como técnico em enfermagem no projeto S11D | Divulgação Vale

 O S11D foi inaugurado em 17 de dezembro de 2016. O projeto S11D+10 irá elevar a capacidade de produção da unidade de 90 milhões para 100 milhões de toneladas por ano. De acordo com o último relatório de produção divulgado pela Vale, até setembro de 2021, o S11D produziu 54,6 milhões de toneladas. Em 2020, a unidade produziu 82,5 milhões de toneladas. Já unidade do Sossego, inaugurada em 2004, produziu em 2020, 87,7 mil toneladas de cobre contido. Em 2021, nos primeiros nove meses do ano foram 57,9 mil toneladas.

A cidade vem mantendo o posto de segundo lugar desde 2018, após a entrada em operação da unidade de mineração de ferro da Vale, o S11D Foto: Reprodução

Conteúdo Patrocinado

MAIS ACESSADAS