Mesmo ainda vivendo a pandemia de Covid-19, boa parte da rotina dos cidadãos já retornou à normalidade. Atrações de entretenimento, como shows, puderam voltar a acontecer, desde que atendam alguns critérios para a segurança e proteção, como o limite de público, para se ter um controle da quantidade de pessoas em determinado espaço.

O comandante do 19º Batalhão da Polícia Militar no Rio de Janeiro (PMERJ) impediu um show da cantora Ludmilla no Tim Music Festival, na noite de domingo (15). Segundo apuração da coluna LeoDias, do Portal Metrópoles, foi alegado pela autoridade que o limite de público no local era de 60 mil pessoas.

Veja também:

Iza elogia sotaque paraense ao receber fã no camarim

Safadão se desculpa com fã e diz que reclamou com segurança

Ainda de acordo com a corporação, considerando a projeção da artista – um dos grandes nomes do cenário musical na atualidade -, a quantidade de público poderia ser excedida absurdamente.

A coluna entrou em contato com a assessoria da artista, que confirmou as informações à coluna e acrescentou que o batalhão da PM da região “concluiu não ter contingente para atender a demanda de público, baseado no histórico do grande público nos shows da cantora”.

“Informamos que a cantora Ludmilla foi convidada para estar no line-up do TIM Music Festival, evento aberto ao público, realizado na Praia de Copcabana, no Rio de Janeiro, mas a apresentação não foi realizada pois, segundo a produção do mesmo, o batalhão da PM da região concluiu não ter contingente para atender a demanda de público, baseado no histórico dos shows da cantora que batem recordes de público tanto na tradicional festa de Réveillon na Praia de Copacabana quanto no bloco Fervo da Lud, realizado nas ruas do Centro da cidade do Rio de Janeiro”, informou, em comunicado.

Conteúdo Patrocinado

MAIS ACESSADAS