A militância por direitos e pelo fim de costumes preconceituosos é importante para a construção de uma sociedade mais igualitária. No entanto, em certos casos, é necessário pesar o momento.

Samara Felippo foi criticada nas redes sociais após publicar, na última sexta-feira (21) um vídeo do aniversário da filha de 11 anos. No vídeo, as outras crianças começam a cantar a clássica música "com quem será?", e a atriz fica contrariada e altera a letra da canção.

Na "nova versão" de Felippo, ao invés de cantar o nome de uma outra pessoa em quem a aniversariante supostamente estaria interessada, como é a canção clássica, foi cantado o nome de Lara, a aniversariante. 

Conteúdo relacionado

Na descrição da postagem, Samara afirma estar cansada dessa "cultura". "Chega de todo mundo definir com quem você vai casar e também se você quiser casar!!!"

"Desde a infância é isso. Um saco! Brincadeirinhas na escola de com quantos anos e com quem vai casar, quantos filhos vai ter, rivalidade feminina. Affe!! Chega disso. Parem de alimentar essa cultura", continuou.

Nos comentários, a atriz foi duramente criticada pela ação. "Até o aniversário da filha você estraga. Isso é só uma brincadeira desde que o mundo é mundo", disse um internauta. "Descansa militante, sai do personagem pelo menos 10 segundos", comentou outro.

"Nossa! Até nessas horas? Relaxa, mulher! O feminismo não vem daí!", falou uma seguidora.

Outras, no entanto, defenderam a posição da atriz. "Certíssima! Em pleno 2024 essa música não cabe mais!", disse uma seguidora em comentário. "É isso aí. Essa música nem deveria existir", respondeu outra. 

Uma terceira pessoa comentou que "nem meninas e nem meninos precisam dessa música! Sempre acho desnecessário".

Resposta de Samara

Em outra publicação no Instagram, a atriz respondeu aos ataques, afirmando que esse tipo de música não é mais puxada em festas de família, mas que, quando é puxada por amigos das filhas, como foi o caso, ela brinca com a situação.

"O vídeo viralizou e nem sei porque, acredito que tenha saído em paginas de desserviço de fofocas, e toda a escória, esgoto, todo lixo que as seguem foi lá no meu post, cheios de ódio, foram lá me atacar, atacar a uma criação que eu escolhi dar pra minha filha. Atacar uma mãe e a palavra “feminista”. Eles odeiam. E não conseguem simplesmente passar o feed", falou.

Ela disse, também, que aprendeu a lidar com haters, mas que as prioridades de vida dela são as filhas, e que as críticas não representam nada para elas.

Quer ver mais notícias? Acesse nosso canal no WhatsApp

Veja as publicações

MAIS ACESSADAS