Abanda Defensoras do Brega volta à cena musical de Belém com um show especial neste sábado, 30, no Botequim, em que contará com a participação da banda Mega Pop Show e da cantora Michelle Amadhor. Formada por quatro mulheres que se uniram em um projeto musical para valorizar o brega paraense, a banda tinha dado um intervalo em suas atividades em função da pandemia. 

As Defensoras do Brega surgiram a partir da iniciativa da cantora e compositora Monica Navarro. Com 20 anos de carreira, em que passou por diversas bandas do estado, Monica desejava montar uma banda formada apenas por mulheres. “Esse projeto significa uma grande evolução na minha carreira. Eu já fiz participação em várias bandas. Elas foram uma escola para mim, e eu senti a necessidade de colocar o meu próprio nome no meu projeto musical e ainda em uma banda formada unicamente por mulheres”, afirma. 

Ela conta que a inspiração para o nome e o figurino - que reúne fantasias de personagens do universo dos quadrinhos -vieram da banda Vingadores do Brega. Monica, então, convidou algumas artistas que aceitaram, de imediato, participar do projeto. “Observei os Vingadores do Brega e pensei: ‘onde estão as heroínas? Sempre acreditei que temos boas musicistas profissionais no Pará, que têm um bom trabalho, então resolvi concretizar esse projeto porque acho que merecemos. Já conhecia as outras meninas de outros trabalhos e quando disse que nos vestiríamos de heroínas, valorizando o nosso ritmo, toparam na hora. Temos que dar valor ao que é nosso e defender. Então, coloquei esse título Defensoras do Brega, pensando nisso”, explica a vocalista. 

A banda foi idealizada em 2019, e a primeira formação era numerosa, mas com a pandemia, os planos do grupo precisaram ser reajustados. “Tivemos que reduzir o número de integrantes da banda, que tinha desde percussão até trompete, bateria e baixo. No lugar, colocamos uma dançarina para ficar comigo no palco”, explica Monica. 

Atualmente, ao lado dela, que encarna a Supergirl, compõem a banda a guitarrista May Diniz (Mulher-Maravilha), a tecladista e cantora Larissa Moraes (Batgirl) e a dançarina Celiane Salviana (Mulher-Gato). 

No palco, vestidas a caráter, tudo se transforma, diz Monica. “É uma coisa diferente. Quando a gente chega no camarim e coloca as fantasias, tudo muda. Há um encantamento formado na plateia. É incrível como as crianças se identificam com a gente. Depois dos shows, sempre as pessoas querem tirar fotos. Isso me deixa encantada”, diz a vocalista. 

No repertório do show, a vocalista conta que o brega é o ritmo principal, mas sempre tem um pouco de tudo. “A gente toca as vertentes do brega, com melody, as marcantes e o brega do passado, mas também tem espaço para outros ritmos consagrados, como a cúmbia, a lambada, o carimbó (porque uma banda que se preze tem de tocar o carimbó) e até discoteca no final da festa”, detalha a vocalista. 

Monica destaca que a festa também será a oportunidade de apresentar o trabalho autoral da banda. “São sete músicas autorais que a gente tem e espera mostrar no show”, diz a vocalista, citando como carro-chefe o “Brega das Defensoras’’.

Retorno

 Show das Defensoras do Brega 

Quando: Sábado, 30, a partir de 23h 

Onde: Botequim ( Av. Gentil Bitencourt, 1445 - Nazaré) Quanto: R$ 15 (antecipado)

No palco, a Batgirl, Mulher-Maravilha, Supergirl e Mulher-Gato se unem em defesa do brega e da cultura paraense Foto: Divulgação

Conteúdo Patrocinado

MAIS ACESSADAS