A Fazenda Açucena, de Paragominas, se destaca no setor da aquicultura no Estado pelo seu potencial de produção. Para se ter uma idéia, a produção anual de tambaqui na propriedade é de 700 toneladas anualmente. São 30 hectares de lâminas de água para a criação do tipo de pescado.

Tudo começou há seis anos, quando o criador, Marco Lott, resolveu investir na criação. Ele, vem de uma geração de fazendeiros, nunca tinha ouvido falar desse tipo de criadouro até então. “Eu sou filho, neto e bisneto de fazendeiro, mas não gostava de pescar e nem mexer com peixes. Mas fui numa palestra e já saí de lá com a consultoria pronta para criar”, afirma.

Nesse período, Marco investiu em tecnologias e novos meios de produção, como o sistema trifásico. Nesse sistema, a criação se faz em três etapas. “Começamos com os alevinos de 40g, ai eles passam para os peixes de 500g (juvenil) para engorda, até chegar ao tamanho ideal de 2 kg”, explica. Eles são criados separados e depois são substituídos em ciclos. Além disso, o uso de probióticos garante a qualidade e o sabor do pescado também. Toda a produção abastece supermercados e restaurantes de Belém.

Marco começa a estudar a implantação do sistema de geomembrana, que usa tanques de lona de PVC (Geomembrana), o que facilita a expansão da produção e a torna mais eficiente. “Assim você produz 30 quilos de pescado por metro. Estou agora planejando para isso”, afirma.

|

Conteúdo Patrocinado

MAIS ACESSADAS