Restaurantes participantes da 6ª edição do Festival Estrela Azul na capital ficaram lotados no primeiro dia do circuito gastronômico que iniciou ontem (24). Ao todo, são 31 espaços que oferecem, até o dia 22 de maio, cardápios diferenciados – com entrada, prato principal e sobremesa - por apenas R$ 69,90.

Conheça os "bentô cakes", bolinhos que viraram febre na web

Este ano o festival voltou com o formato presencial, ou seja, o público poderá visitar os salões dos estabelecimentos participantes do circuito. Mas para quem deseja experimentar as comidas sem sair de casa, alguns empreendimentos mantiveram o formato delivery. Outra novidade este ano é a oportunidade de ajudar os abrigos Au Family e o projeto Peludinhos, espaços que acolhem e cuidam de animais abandonados e que são resgatados das ruas. Para cada cardápio vendido, R$ 1,00 será doado para essas iniciativas.

Um dos restaurantes participantes é o Bar do Parque, que fica localizado na rua Carlos Gomes, esquina com a avenida Presidente Vargas, no bairro da Campina. Quem visitar o local poderá saborear deliciosas brusquetas como entrada: pão focaccia, com redução de laranjas concassé e molho funghi.  

Elizete e Suellen aprovaram o cardápio oferecido no Estrela Azul pelo mango
Elizete e Suellen aprovaram o cardápio oferecido no Estrela Azul pelo mango | Irene Almeida / Diário do Pará

Já o prato principal, o estabelecimento apostou no “Marajoara”, que é composto por um fettuccine com creme de leite, queijo do Marajó, jambu e camarão empanado na farinha panko. Para finalizar, os clientes têm a oportunidade de consumir ainda uma sobremesa de brigadeiro do Combu na colher. “Temos o objetivo de enaltecer a nossa culinária e viemos com a pegada de ingredientes paraenses, como o queijo do Marajó, o jambu e a nossa sobremesa que enaltece a castanha do Pará”, explicou o gerente do Bar do Parque, Romildo veras, de 25 anos.

Segundo a engenheira eletricista, Renata Meireles, de 33 anos, tudo que foi apresentado estava gostoso e merece elogios. Renata ressalta ainda que esse é o diferencial do Festival Estrela Azul, uma oportunidade de apresentar nossos sabores para o público. “Tudo harmonizou e eu não tenho reclamações! Gostei muito da entrada, pois oferece ao público o sabor regional, principalmente aos visitantes da nossa cidade”, contou.

NAVIO

Outro restaurante que participa do festival, só que pela primeira vez, é o Porto Ver-o-Rio, que fica em um dos pontos turísticos mais conhecidos de Belém e que dá o nome ao estabelecimento, na avenida Marechal Hermes, no bairro do Umarizal. Trata-se de um navio ancorado com vista para a Baía do Guajará.

Nasareno Sousa disse que o cardápio foi preparado especialmente para o festival | Irene Almeida / Diário do Pará

Nazareno Sousa, de 44 anos, diz que cardápio está especial. “De entrada temos a ‘Trilogia Paraense’, que é composta por uma unha de caranguejo, coxinha de camarão, bolinho de pato e geleia de tucupi com uma pimenta suculenta”, disse o gerente operacional. O prato principal se chama “Filho dos Navegantes”. “Tem camarão pitu braseado e uma porção de arroz com mariscos e crustáceos, leite de coco, caldo de peixe, jambu e ervas regionais. Por fim, preparamos um creme de brulée de bacuri como sobremesa”, completou.

A gestora de empresas Jéssica Soares, 32, foi acompanhada da família exclusivamente para saborear o “Filho dos Navegantes”. “Falando em nome da minha família: amamos tudo o que experimentamos. Esse arroz é muito saboroso e sortido, com camarões grandes e tudo ao ponto. Sobre a entrada, é bem característico da nossa região, com um toque especial. E a sobremesa, gratinada na hora, fica crocante e perfeito”, parabenizou a gestora.

O restaurante Mango Saudável também participa do Festival e atrai os clientes com uma entrada de mini quiche de camarão com jambu acompanhado de salada verde. A fraldinha com nhoque de banana da terra finalizado com crispy de couve faz parte do prato principal. De sobremesa: pudim de leite com calda de morango.

Este ano, o prato do Mango é totalmente zero lactose e sem glúten. “Recomendo para todos que ainda não experimentaram que venha, pois os pratos são bem servidos”, indicou a funcionária pública Elizete Nunes, de 64 anos. A estudante universitária Suelen Queiroz disse que vai tentar ir em todos os restaurantes que fazem parte do Festival. “A comida está aprovada e agora, a próxima missão é experimentar a culinária de outros restaurantes. Todos os anos eu faço isso e esse não vai ser diferente”, concluiu.   

|

Conteúdo Patrocinado

MAIS ACESSADAS