Dois paraenses foram presos pela Polícia Judiciária de Portugal no âmbito da Operação "Norte Tropical", acusados de participar de esquema de tráfico internacional de drogas. De acordo com as autoridades, grandes porções de cocaína estariam escondidas em cargas de açaí e teriam saído do Porto de Vila do Conde, em Barcarena com destino às terras lusitanas. 

Segundo as investigações, a dupla faz parte de um esquema criminoso comandado por Ruben Oliveira, o maior traficante português, conhecido como “Xuxas” e pelo Sérgio Carvalho, o "Major Carvalho", também chamado de “Escobar brasileiro”. Ambos foram presos na operação.

A Polícia Judiciária portuguesa confirmou a prisão, mas não forneceu os nomes dos acusados. Porém, segundo informações das autoridades portuguesas, um dos acusados é um jovem empresário de Barcarena e o outro seria agente de segurança pública, lotado em Belém. Ele foi identificado como Aderaldo Pereira de Freitas Neto que é tenente da Polícia Militar do Pará.

Em um comunicado à imprensa, a Polícia Judiciária de Portugal informou que "através da Unidade Nacional de Combate ao Tráfico de Estupefacientes, desencadeou, nos últimos dias, uma operação na qual foi possível localizar e apreender uma grande quantidade de cocaína".

A policia portuguesa informou ainda que a droga "seria suficiente para a composição de pelo menos 3.200.000 (três milhões e duzentas mil) doses individuais". A droga estava em um "carregamento de açaí congelado, que havia chegado recentemente a Portugal num um contentor marítimo, proveniente de um país da América Latina", informa a nota escrita no português de Portugal que em alguns trechos de diferencia do falado e escrito no Brasil.

Ainda segundo as autoridades, há fortes suspeitas de que os dois paraenses presos sejam integrantes de uma organização criminosa que se dedica à introdução de grandes quantidades de cocaína no continente europeu", informa.

Veja no vídeo como foi a prisão do "Escobar brasileiro":   

Sobre a prisão do homem apontado como tenente, o DOL solicitou nota à PM do Pará e aguarda retorno.

Conteúdo Patrocinado

MAIS ACESSADAS